rebolo de óxido de alumínio

Rebolo de óxido de alumínio: entenda o que é e suas especificações

A indústria de transformação conta com uma série de dispositivos utilizados na produção ou para manutenção dos equipamentos existentes na linha fabril. No setor de ferramentaria, o rebolo de óxido de alumínio é indicado para afiação de várias ferramentas de corte, entre elas, as lâminas de serra de fita estreitas e largas.

Tendo em vista a importância desse artefato para a indústria de beneficiamento de madeira, produzimos um artigo para apresentar detalhes sobre o funcionamento e as especificações de uso. Continue a leitura e conheça mais sobre o produto.

 

O que é um rebolo?

Inicialmente é preciso esclarecer que o rebolo é uma ferramenta de corte constituída por grãos abrasivos que são unidos por ligas especiais. Uma das opções de uso é conectado em máquinas para operações de corte e afiação.

Desse modo, a aplicação tem o objetivo de remover rugosidades e excessos de material, além de proporcionar acabamento das peças manuseadas. O funcionamento do rebolo se caracteriza por desgastar o material trabalhado, pelo processo de pressão efetuada pelos grãos abrasivos.

Sendo assim, os grãos perdem a capacidade de corte e requerem maior pressão na área de contato entre a peça e o rebolo. Isso é necessário para remover as partículas abrasivas e renovar as arestas de corte. Por essa particularidade, a ferramenta é considerada a única com auto afiação.

 

Qual a função do óxido de alumínio?

Conforme dito anteriormente, uma das finalidades do rebolo é verificada no processo de afiação de ferramentas de corte, por isso, o modelo indicado para esse caso é desenvolvido com grãos abrasivos de óxido de alumínio.

O tamanho das partículas é essencial para conseguir o acabamento desejado na peça manuseada. Por isso, existe uma classificação para determinar quais os tipos e tamanhos de grãos recomendados, para materiais de diferentes índices de dureza e porosidade. A liga utilizada no rebolo também será diferente, dependendo do trabalho realizado.

Os grãos abrasivos de óxido de alumínio existentes no rebolo variam de acordo com o material que compõe as ferramentas de corte que serão afiadas. No caso dos equipamentos destinados ao corte de madeira e derivados, as opções são:

Rebolo de óxido de alumínio cinza: indicado para afiar ferramentas de corte com baixa liga, aços carbonos com até 1,5% de liga e lâminas de serra fita estreitas e largas. Outra recomendação feita por especialistas é de que não sejam usados para afiação de aços com mais de 5% de liga.

Rebolos de óxido de alumínio branco: são caracterizados pelo alto poder de corte e friabilidade, desse modo são recomendados para afiar peças produzidas com aço especial de alta dureza ou sensíveis ao calor.

Rebolo de óxido de alumínio rubino (rosa): apresenta funções semelhantes com o alumínio branco, no entanto é mais friável. Sendo assim, o uso é conveniente em afiação de frezas, escariadores, machos e aços sensíveis ao calor.

Além do óxido de alumínio, existem rebolos com a mesma serventia produzidos com elementos como: carbureto de silício verde, borazon e diamantado sintético.

 

Especificações de uso do rebolo

Antes de mais nada, para especificar um rebolo é preciso conhecer a máquina na qual será instalado, qual a potência de rotações por minuto (RPM), que tipo de operação será executada e qual material será aplicado. Com essas verificações é possível adequar o melhor rendimento do dispositivo.

Tão importante quanto avaliar os fatores que definirão a escolha do rebolo de óxido de alumínio é ter conhecimento sobre o tamanho do grão abrasivo presente no dispositivo. Isso porque o conjunto de partículas será responsável por executar a ação de remover da superfície da peça, o material excedente, segundo a natureza do trabalho

Outro elemento fundamental na fabricação de um rebolo é a liga, já que a matéria-prima utilizada influenciará no bom rendimento do aparelho. Os materiais mais utilizados são: vitrificados (V), resinóides (B), borracha ( R) e frias (Magnesita).

Do mesmo modo, é essencial identificar a capacidade da liga em reter os grãos abrasivos do rebolo. A forma de identificação é pelo grau de dureza indicado para cada aplicação, já que nesse momento pode ocorrer a soltura das partículas abrasivas. Nessa condição, os grânulos perdem o poder de corte e criam de forma contínua, novas arestas para cortar a peça trabalhada.

Complementando as verificações que influenciarão na especificação do rebolo de dióxido de alumínio temos a estrutura ou porosidade dos grãos abrasivos. Sendo assim, quanto maior o espaço entre uma partícula e outra, menor o atrito entre a peça e o rebolo.

Esse cuidado impactará em um corte suave e altamente refrigerado (não esquentará o material) e deve ser observado atentamente em superfícies com alta dureza. A averiguação é importante pois quanto menor a área de contato entre o rebolo e a peça, maior deve ser a densidade dos grãos no rebolo, de forma que o material trabalhado não sofra deformações durante o processo.

Em resumo, o rebolo de dióxido de alumínio apresenta uma das atuações mais eficientes no trabalho de afiação de ferramentas de máquina de corte de madeira. Contudo, são necessárias uma série de avaliações para definir o dispositivo ideal e assim, realizar um procedimento econômico e com alta qualidade.

Para conhecer mais informações sobre outros equipamentos utilizados na indústria de beneficiamento de madeiras acesse o site da Fibra do Brasil e fique bem-informado.

Baixe nosso catálogo e conheça toda a nossa linha de Metal Duro | Baixar grátis | Fibra do Brasil

Deixe um comentário

All fields marked with an asterisk (*) are required

X